28/12/2011

Quem será a próxima Google? Como apanhar a próxima grande onda ?

"A importância das universidades para a economia está crescendo. É uma grande mudança", diz o professor Boutellier.

Em termos de encontrar o próximo Google, ele diz que as universidades prestam-se a desenvolver ideias on-line. Os campus estão cheios de jovens criativos que se podem dar-se à experimentação de forma relativamente barata - e cujas ideias podem servir um mercado crescente, para as aplicações digitais que estão a transformar o mundo.
"Nele só precisa de um pouco investimento para começar, de um computador portátil e acesso à internet. Não precisa comprar máquinas pesadas como na indústria do petróleo na era industrial do Séc passado.".

Mas é sobretudo necessário conseguir criar-se uma cultura certa para que tal inovação aconteça. Os ingredientes incluem a internacionalização, o mix diversificado de pessoas de diferentes culturas e pensamentos,e em seguida, a mais completa liberdade académica e empresarial para exploraras ideias.
"Vai ser preciso juntar muita diversidade e liberdade. A diversidade ajuda a acelerar a criatividade. E se se tem a liberdade para aplicar a diversidade então por certo terá os ingredinetes base para que ocorram as novas coisas que dão origem às ideias.

"Na universidade existe uma grande diversidade, diferentes nações, diferentes culturas, diferentes experiências de vida. Esta diversidade é o principal engrediente que está por trás da criatividade".
O panorama da economia global também está mudando muito rapidamente. Há uma abundância de ideias que estão a ser geradas todos os dias.

As empresas podem vir às universidades em busca de "ideias", ou mesmo criarem equipes mistas que incluam alunos e colaboradores das empresas, para trabalharem ideias especificas. É preciso acabar de vez com o mito da universidade fechada à sociedade e da empresa trancada para o exterior. A ordem mundial actual é a da colaboração e inovação abertas e da coopetição.

As oportunidades estão aí para serem exploradas. Basta alguns ingredientes atrás referidos e as iniciativas do governo e das empresas, para por em marcha a colaboração entre as universidades e as empresas, que é fundamental e urgente aconteça, mas em total liberdade de acção e respeitando sobretudo a diversidade.
Será pois que Portugal vai saber aproveitar esta nova onda e apanhá-la, ou mais uma vez fica a ver os outros, limitando-se a contemplar ondas gigantescas de oportunidades que sempre lhe escapam!!

Francisco Gonçalves / March 2011
Baseado num Artigo de BBC News
By Sean CoughlanBBC News education correspondent


Enviar um comentário

Translate