20/11/2017

Tudo igual, como nos tempos dos nossos avós e dos seus avós... ou o verdadeiro provincianismo no seu melhor!

Por este blog resolvi passar algumas das indignações expressas por grandes vultos da língua portuguesa, que mais não descrevem o passado, que quando comparado com o presente, apenas nos diz e podemos afirmar com toda a probidade, quer o povo, quer a classe poderosa que nos vem governando no pós 25 de Abril, continuam a agir como nos tempos dos seus avós.. ou quiçá como na idade média.

E se estão deslumbrados poderão só constatar o que um recente juiz lavrou em sentença e passo a citar:  “uma mulher que comete adultério é uma pessoa falsa, hipócrita, desonesta, desleal, fútil, imoral. Enfim, carece de probidade moral”.
“..(..) não surpreende que recorra ao embuste, à farsa, à mentira para esconder a sua deslealdade e isso pode passar pela imputação ao marido ou ao companheiro de maus tratos”.Também aí se socorreu da bíblia: “Assim é o caminho de uma mulher adúltera: ela comeu e esfregou a boca, e disse: "Não cometi nenhum agravo" (Provérbios 30:20). E, ainda, esta do sábio rei Salomão: "Quem comete adultério .. . é falto de boa motivação" (Provérbios 6:32).”.
E até se constatou que esse mesmo juiz já teria efetuado e lavrado outras sentenças da mesma índole, sendo até refratário nestes pequenos deslizes como a fausta magistratura nos quer fazer crer. Mas não foi só este juíz que foi tão longe e basta que consultemos alguns polémicos acórdãos da justiça Portuguesa ao longo dos últimas (já longas décadas) em democracias.
E quase todos incidindo sobre os mais vulneráveis da sociedade, como são as mulheres mais pobres e dependentes, envolvendo muitas de menor idade, as quais são também muitas das vezes mortas, antes que o estado e a justiça façam qualquer coisa, e adequada à respectiva situação.
Pois quer justiça, quer governantes e seu acólitos, por isso poderosos na sociedade portuguesa, representam o poder no formato das suas convições e sempre dispostos a ser "fortes (muito) para com os fracos e fracos (muito mesmo) com os poderosos deste pobre país.
E também (a oeste nada de novo) alguns juízes e governantes estão sempre prontos a desculpabilizar-se e a atirar as culpas para a comunicação social,  como é o caso premente do Juíz Neto de Moura. Em muitas outras ocasiões tal aconteceu também, e nos casos em que há um jornalismo mais sério e comprometido com a verdade, logo é prontamente rechaçado e até calado, ainda que com custos para o estado e os portugueses. Tal é o empenhamento deste governantes  para os quais o poder não tem limitações nem regras de actuação éticas nem morais.
E esta moral a que me refiro não é aquela a que por exemplo o juíz Neto de Moura menciona nos acórdãos que profere. Esta democracia inqualificável,  e que até em minha opinião, considero desde sempre ser mais um instrumento nas mãos dos autoproclamados poderosos deste País,  e que mais se assemelha a uma autocracia pura e dura. E o povo coitado, esse tem memória curta e vive das "esmolas" das poderosos, na sua usal distribuição de "bodo aos pobres", o que não passa de mais uma versão do tão conhecido e praticado desde longas épocas, "pão e circo".
Senão vejamos um país como os EUA, no qual a justiça, em menos de 6 meses acusou, julgou e meteu na prisão e com pena de 150 anos, o génio do mal e mestre na arte de bem manipular a economia de casino mundial, chamado BernardoMadoff.  E ainda nesses seis meses a justiça conseguiu penhorar todos os bens que lhe foi possível a ele e à sua família, a favor dos lesados.
Nós por cá, com os lesados, estes vão ser eventualmente resarcidos através dos nosso gordos impostos, de hoje e das novas gerações. Sim porque este país está hipotecado, pelo menos pelos próximos 100 anos. E isto se alguma coisa for feita até lá, que impeça este lamaçal em que nos lançaram e em quem este povo tem vindo a confiar cegamente, ao contrário da justiça que tem tido os olhos bem abertos......
E em Portugal, o que dizer dos já acusados, e só vou refiro as designadas operações Monte Branco e Marquês, pelas quais, entre muitas outras, este povo foi espoliado até ao osso e o governo da nação colocado na mais abominável falência. Só estes processos, e não esqueço o anterior BPN onde não vejo ninguém preso; após mais de 15 anos, pasmem-se senhores! E tudo isto perante um povo inocente,  que vê a "justiça" que devia punir, este e outros processos, os quais já se alongam criminosamente em mais de 5 anos, e segundo os famigerados prognósticos de advogados e juízes, durará mais de 10 anos. Isto não é justiça, digam o que disserem e invocando as teses da conspiração a que se permitem, quando são "principescamente pagos pelo povo, a peso de ouro".
Uma justiça que tão cara saí aos contribuintes e trabalhadores portugueses, é de facto só por si um crime contra a nação, ademais sempre pronta a condenar os pobres que roubam um pão, e sem qualquer capacidade, e menos autoridade, de meter atrás das grades um único criminoso pertencente a esta autocracia falaciosa, que dita o Portugal de hoje.
Uma democracia onde a justiça, pura e simplesmente não funciona, não só mantêm os cidadãos debaixo da mais odiosa e famigerada governação, como ainda numa absoluta tirania dos ricos e poderosos, sobre a maioria de um povo muito pobre.
E que dizer dos juízes, que à cabeça, das muitas ordens e  desordens existentes, em cada classe do estado, que nós pagamos com "sangue suor e lágrimas", que são os primeiros a ser beneficiados por aumentos e revisão de "carreiras", enquanto os trabalhadores privados  estão com salários congelados de há anos, e tendo mesmo havido redução dos mesmos.
É também esta a justiça e governação dos poderoso de Portugal, e que dizem querer digna de uma democracia de respeito, e que nos têm vindo a impôr e fazer crer ser a "bem do povo" ?
Como tal a governação do País por um estado todo poderoso que institui a "ordem e a justiça" para com os mais desfavorecidos, enquanto uma horda de poderosos se governa a si próprio, sem lei nem grei, não passa hoje, de mais uma versão do Portugal do passado remoto!
É pois este o Portugal que esta gente quer deixar aos seus filhos e netos ? Pois eu não quero, e por isso quero afirmar, que este país está cheio de provincianos (e também parvónios), como bem referiu Fernando Pessoa, entre outros.
O país, esse continuam bem estacado à beira mar (des) plantado e como sempre, desde os nossos avós e seus avós. E ainda nos querem fazer crer (os poderosos deste pobre país) que atraem riqueza e mais inovação, quando  a justiça se encontra sempre em parte incerta, e sobretudo os governantes se entretêm a brincar com os "pobrezinhos" e aos "pobrezinhos", sem capacidade de vislumbrarem sequer a meta da dignidade humana, e muito menos o planeamento a longo prazo do que poderia vir a ser um novo Portugal, no assento com os países mais evoluídos e celebrando a dignidade humana, porque deve nortear-se qualquer democracia, deste ou outro mundo, que se preze.
Ainda sobre justiça, e quando nos enganam com por exemplo os afamados vistos Gold (mais uma magia de esperteza saloia dos nossos queridos governantes) e outras tramóias criminosas, sobretudo ainda não perceberam, que com uma justiça deste tipo e uma governação por um estado que apenas se governa a si e aos seus, deixando de fora o "regime geral", não terão também percebido, nem intuído, que é este último a única fonte de receitas e contribuição penosa para o PIB do país e única riqueza do País.
Tal como não entenderam que a "mão de obra barata" e o salário mínimos do privados ("regime geral"), só fará ainda mais cair o nível de produtividade, e mais digo, só conseguirá atrair capitais de origens pouco ou nada transparentes, que trarão ainda mais escuridão e crime para Portugal ?
E passo a citar um bem sucedido empreendedor (e este é mesmo isso) nos EUA, que já ajudou a criar a PayPal e Linkedin entre outras empresas bem sucedidas nos EUA.
"...(...).. um empreendedor que tenta criar um negócio numa sociedade enferma é como uma semente num vaso que nunca é regado: por mais talentoso que seja esse empreendedor, o negócio nunca poderá florescer."
[Reid Hoffman Co-Fundador do Linkedin]
Deixo-vos desde logo, e para abrir com um texto para novos posts, que no início descrevi e passarei neste blog a publicar com frequência.
Francisco Gonçalves in 20 Nov 2017.
( francis.goncalves@gmail.com )
Hoje cabe-me a honra dar voz a quem já tem voz, mas pouco ou nada lido e menos ainda percebido, cuja temática é exactamente sobre um "país de canalhas"... o nosso Portugal, e também pela nossa culpa, e a de todo um povo crente e desmemoriado.
Um País de Canalhas
" (..)... Pensar Portugal. Nós somos um país de «elites», de indivíduos isolados que de repente se põem a ser gente. Nós somos um país de «heróis» à Carlyle, de excepções, de singularidades, que têm tomado às costas o fardo da nossa história. Nós não temos sequer núcleos de grandes homens. Temos só, de longe em longe, um original que se levanta sobre a canalhada e toma à sua conta os destinos do país. A canalhada cobre-os de insultos e de escárnio, como é da sua condição de canalha. Mas depois de mortos, põe-os ao peito por jactância ou simplesmente ignora que tenham existido. Nós não somos um país de vocações comuns, de consciência comum. A que fomos tendo foi-nos dada por empréstimo dos grandes homens para a ocasião. Os nossos populistas é que dizem que não. Mas foi. A independência foi Afonso Henriques, mas sem patriotismo que ainda não existia. Aljubarrota foi Nuno Álvares. Os descobrimentos foi o Infante, mas porque o negócio era bom. O Iluminismo foi Verney e alguns outros, para ser deles todos só Pombal. O liberalismo foi Mouzinho e a França. A reacção foi Salazar. O comunismo é o Cunhal. Quanto à sarrabulhada é que é uma data deles. Entre os originais e a colectividade há o vazio. O segredo da nossa História está em que o povo não existe. Mas existindo os outros por ele, a História vai-se fazendo mais ou menos a horas. Mas quando ele existe pelos outros, é o caos e o sarrabulho. Não há por aí um original para servir?  " .. (..). (Fim Citação).

Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente 2'





03/09/2017

Portugal, áreas ardidas e alterações climáticas.

Já alguma vez ouviu, um sequer jornalista ou político, falar das consequências para o clima (sobretudo os microclimas locais), para as alterações climáticas a que Portugal tem sido submetido nos últimos 40 anos??
Isto estuda-se na escola, mas será que ninguém se questiona sobre esta problemática???
Será só tudo explicado pelo "santo aquecimento global", aquilo a que  a designo por  a verdade conveniente, uma forma de fazer com que os evangelizadores da fé dos povos, com a sua santa palavra do politicamente correcto, convençam este pobre povo?? Onde está  o espírito o crítico e a capacidade de duvidar deste povo???

28/10/2016

Vivemos num país por entre a escuridão e as trevas densas de sempre

Os pardacentos e medíocres sempre dominaram este país de burocratas, escribas (ou magas de alpaca) e planeadores, que não passam de puros lacaios do poder, sempre dispostos à bajulação e incapazes de pensar por si ou de decidir o que quer que seja, tal qual perfeitos botas de elástico medievos.
E tudo isto por entre a agiotagem e o crime organizado de uma máfia lusitânia que tudo domina, e mantém a economia, a sociedade e a própria democracia e justiça refens e sob a sua alçada criminosa.
E as trevas adensaram-se ainda mais nos últimos anos (Séc XXI) e deram lugar a mais perversão e crime sempre “legitimados” sob a máscara de uma democracia, o que torna tudo ainda mais opaco.
E quem afirmar estas verdades é logo rotulado de "politicamente incorrecto"...ou porque tem "mal feitio" .. "é irascível" ou "é alguém que não sabe o que diz"... e assim se perpetua o reino dos maus de carácter, que no entanto são o poder e podem determinar com toda a força da lei, que eles são a única opção. Ou eles ou a polícia de intervenção! Na idade média também era assim e há 2,000 anos também! Nada de novo de baixo do sol, portanto. Até Jesus Cristo, o pregador foi vítima desta gentalha de poder absoluto, absurdo e abjecto. E (talvez) o único cristão que existiu à face da terra!
E por isso acabou pregado na cruz, por pregar contra os poderes vigentes da altura, incluindo os da igreja de então... mas ninguém quer ver a realidade e 2,000 anos depois continuamos cegos, mudos e incultos, o que não augura nada de bom para o futuro da humanidade..
Tal como há 2,000 anos… A classe dominante nunca deixará que o povo possa ter assento, ou sequer que forme uma opinião própria, nesta "canalho-cracia".
Pela minha parte, abomino pois todo e qualquer sistema político que permita em absoluta passividade, deglutir paulatinamente a ignorância, a arrogância, a demagogia, o culto da personalidade, os caciques e tudo quanto a política consegue materializar de mau. Uma sociedade que se deixa conviver passivamente com o mal durante séculos, é ela própria fonte de mal e de destruição.
A esperança são as pessoas verdadeiramente livres e que não se deixam vergar nem por poderes e menos por bolsas cheias de dinheiro, que representam as sementes do bem e a grandiosidade maior da humanidade no futuro.
Francisco Gonçalves (jan2014)
( francis.goncalves@gmail.com )
‎"A gente que manda hoje no mundo acredita apenas no sucesso egoísta, traduzido em ganhos monetários, pisando todas as regras e valores. Os aventureiros que conduziram a humanidade à actual encruzilhada dolorosa não passam de jogadores que transformaram o mundo num miserável “reality show”. Tirando o dinheiro, nada neles os distingue da gente vil, medíocre e intelectualmente indistinta que se arranha para participar nesses espectáculos insultuosos para com a condição humana."
[VIRIATO SOROMENHO MARQUES]

"Os defensores do capitalismo são muito ciosos a apelar aos sagrados princípios da liberdade, que são incorporados na seguinte máxima: os afortunados não devem ser impedidos do exercício da tirania sobre os infelizes." [Bertrand Russell]

O descalabro do nosso nosso sistema de ensino!

" O professor não ensina, mas arranja modos de a própria criança descobrir. Cria situações-problemas". [ Jean Piaget ]
Passados quase 100 anos sobre os ensinamentos de Jean Piaget, continuamos a ter uma escola baseada em pressupostos de há 200 anos e que apenas forma ( e formata) mentes para irem trabalhar para as fábricas e escritórios, serem obedientes aos chefes, acríticos perante os problemas e situações e sobretudo cidadãos "bem comportados", e mais ainda amestrados !
FGonçalves
http://www.youtube.com/watch?v=tyZtlljMrbk

A democracia representativa dos nossos (piores) dias!

A democracia representativa é já só uma farsa e pior que as ditaduras, nem sequer precisa combater quem pensa diferente. Pura e simplesmente ignora todo o pensamento que sai "fora da caixa" do sistema de partidos.

O debate de ideias só existe dentro dos partidos e o debate político circunscreve-se a um bando partidário, de pensamento monolítico, que se outorga dono das ideias e toma conta da vida política, económica e social do país.
Entre este sistema de controlo da vida pública, por uma cáfila de partidos e um sistema de regime de partido único, "vai apenas o salto de um anão, e o trono é do charlatão" .. (neste caso dos muitos charlatões e charlatonas que escravizam e ultrajam todo um povo).

Mas continuamos a ser escravizados, pura e simplesmente porque o permitimos desta forma ultrajante ... e a deixarmo-nos manipular pelos sempre labregos que usam a boa e santa demagogia, sempre feita à maneira.. ontem e hoje..

..afinal não somos assim tão diferentes nem evoluímos tanto desde o antigo Egipto... ou quiçá desde a antiga Suméria, há mais de 5,000 anos.

Enfim, os ditos “humanos” carregados de licenciaturas, doutoramentos, MBA's, e outras estranhas formas de vida... mas usar o cérebro para outras funções mais nobres que o simples memorizar de pilhas de factos... isso aí .. nem mortos!!

FGonçalves "in" 30Jan2014
( francis.goncalves@gmail.com )

"A mediocridade é infinitamente mais fascinante do que a competência. A competência tem limites, a mediocridade não."
(Confúcio)


"A humanidade é a vitória dos arrogantes sobre os humildes, dos fortes sobre os débeis, da besta sobre o anjo."[Guerra Junqueiro]

17/10/2016

A “CULTURA” NACIONAL DA ELITE QUE DOMINA E ESCRAVIZA TODO UM POVO!

A nossa sociedade e o nosso sistema de ensino não foram concebidos para criar seres humanos pensantes, que possam formar as suas opiniões próprias, ou sequer capazes de sermos mais cultos, ou até com sabedoria.
Muito pelo contrário, somos educados e estimulados a nos mantermos apenas consumidores passivos, de tudo o que é material e se compra com dinheiro, mas sobretudo de consumirmos avidamente as ideias de uns “génios” medíocres, que os governos sempre contratam para o efeito.
E vivemos hoje numa sociedade onde se produzem todos os dias, mais e mais livros, com muitos mais idiotas a escrevê-los, para pessoas mais alfabetizadas sempre prontas a consumir ideias!
Sejam pois bem vindos à sociedade idiotizada do consumo imediato!

Francisco Gonçalves "in" 10March2013

Ver Video : O estado Idiotizador !

Ideias que funcionam !

Será que o Governo pode ser suportado na Internet, tornando-o transparente e aberto?
A programadora e activista Jennifer Pahlka acredita que pode - e que as aplicações construídas de forma rápida e barata, é uma maneira nova e poderosa para conectar os cidadãos, entre si e com os seus governos - e  vizinhos...

Spread the idea ! Difunda esta ideia!

FGonçalves (May2013)

http://www.ted.com/talks/jennifer_pahlka_coding_a_better_government.html

Governo do Reino Unido pode mudar do MS Office para o Open Source!


Governo do Reino Unido pode mudar do MS Office para o Open Source

Karashur envia este relatório do "The Guardian":

"Os ministros estão a ver como podem salvar dezenas de milhões de libras por ano ao abandonar o software caro produzido por empresas como a Microsoft . Mais de 200m £ foram gastos pelo setor público em pacote Office da gigante da informática desde 2010. O gabinete do ministro Francis Maude acredita que uma proporção significativa de que foi gasto poderia ser cortado, simplesmente mudando para software livre 'open-source', como o OpenOffice, ou o Google Docs. 'Eu quero ver uma maior variedade de softwares utilizados, com os cidadãos a terem acesso à informação de que necessitam e podem fazer seu trabalho sem ter que comprar uma determinada marca de software. No primeiro caso, isso vai ajudar os departamentos de fazer algo tão simples como partilhar documentos com os outros mais facilmente. Mas também vai tornar mais fácil para o público a usar e partilhar informações do governo. "..

A abertura e colaboração são duas atitudes mentais e culturais, que aparentemente são difíceis de adoptar por uma civilização formatada para não cooperar com o próximo, e apenas competir!!

Francisco Gonçalves "in" 02Feb2014

Os sistemas de educação e os monopólios!

Os sistemas de educação e os monopólios aliados (..).
....... (..).
A primeira coisa que uma criança aprende depois de aprender a palavra "Computadores" é, o Windows. As escolas ensinam o Windows, pois é um sinónimo de Computadores. O próprio fundamento da educação de computador é propriedade da Microsoft e nós precisamos fazer alguma coisa.
As escolas têm que pagar uma grande soma de dinheiro para usar o Windows nas escolas. Mesmo depois de descontos, o software windows nas escolas é inútil e ainda custa uma fortuna, resultando em maior custo da educação. Por outro lado, o Linux é livre e ampla adopção do Linux entre as escolas vai baixar o custo da educação drasticamente. (..).

Uma coisa leva a outra, e começando a usar o Linux no nosso sistema de ensino pode ajudar na erradicação da confusão Microsoft mais cedo. O Linux nas escolas pode aumentar a taxa de adopção de utilizadores domésticos e desse ponto, o Linux pode começar a crescer no mundo corporativo, onde já actualmente a sua implantação é sólida e com resultados surpreendentes.

A Microsoft gasta um monte de recursos para manter o seu monopólio global, e assim o actual sistema de ensino é a fusão do monopólio com a corrupção, em que as gerações mais jovens, desde o início são imersos, e não tendo eles sequer a menor ideia de quanto dano esta "cultura" de(de monopólio aliada a corrupção) pode causar ao mundo no futuro.


Francisco Gonçalves "in" 17 Oct2016

24/06/2016

BREXIT

Juntos somos mais fortes e desunidos fácilmente dizimados. A desunião é a força das trevas e a união a luz que nos poderá conduzir (a todos) a viver num mundo melhor e mais justo (para todos).

F. Gonçalves (24July2016)

21/04/2016

A DISRUPÇÃO no Ensino que promete mudar todo o sistema educativo de alto a baixo!

Para quê gastar milhões e milhões com professores (ou pedagogos) inabilitados para ensinar conteúdos e sobretudo inaptos para ensinar a pensar numa época que se aproxima, onde as máquinas começarão a superar os humanos em atividades manuais e intelectuais, e até alguma criativas ??!!
A DISRUPÇÃO (ou revolução se tal não vos chocar!!!) no Ensino já bate à nossa porta e não é uma mera reforma protagonizada pelos burocratas e mangas de alpaca deste pobre país finalmente!
Esqueçam pois, o ensino em Portugal é apenas uma enorme progressão em relação ao mais absoluta mediocridade, alguma vez vista no mundo!
Mas não tem problema. A escola está toda aqui e a universidade também. É só querer e força de vontade! O resto são obsoletas formas de ensinar definidas por pedantes demagogos, e dotados de inteligencia um pouco abaixo da média para um medíocre (daquele que as democracias bolorentas se apressa sempre a instalar no poder). 
"Quando um sistema não pode ser derrubado, apenas há que criar uma alternativa disruptiva, que introduza inovação e progresso" e o resto são conversas de café, tipo quem é o melhor clube na bola (GOOOOLLLO)!
Francisco Gonçalves "in" 21 April 2016
francis.goncalves@gmail.com
Se ainda não o fez atreva-se a perceber o que é a khan Academy, isto para além de outros cursos ministrado on-line por universidades como Harvard ou Cambridge.

19/04/2016

A inteligência "versus" a condição humana

Em termos do uso da tecnologia, a inteligência média dos atual "homo sapiens" é mais parecida com os macacos, pois a grande maioria das decisões são tomadas pelo nosso inconsciente e aprendemos mais por memorização e até por mimetismos primários.  E sobretudo com o nosso consciente ainda preso ao dos nossos antepassados. Isto é continuamos a executar aquilo a que Richard Dawkins apelidou de "códigos dos mortos".


E tal como já ocorreu com o “homo sapiens” que teve que adaptar e desenvolver o seu cérebro para "reinar" sobre o planeta e assim se distanciar dos seus parentes mais próximos, estaremos também nós à beira de um novo salto qualitativo.  E agora o desafio já não vem de outras espécies, mas apenas e só das máquinas que nós mesmo criamos e estamos a desenvolver na atualidade.
Estamos pois à beira de um novo salto qualitativo na evolução da atual condição humana, já que as tarefas manuais e intelectuais que não exigem criatividade estão cada vez mais ao alcance da máquinas, deixando ao ser humano desenvolver ainda mais aquilo que já hoje nos já o distingue: instinto e criatividade. Aliás a única forma de nos distanciarmos e diferenciarmos do poder e capacitação ao alcance das máquinas ao longo dos próximos 30-50 anos.


Francisco Gonçalves "in" 19 April 2015
( francis.goncalves@gmail.com)

"Provavelmente nós somos das últimas gerações do Homo sapiens. Um bebê nascido hoje ainda terá netos, mas não estou certo que esses netos terão netos, ao menos não humanos. Dentro de um século ou dois, os humanos se tornarão super-humanos ou desaparecerão. De qualquer forma, os seres que dominarão o planeta em 2200 serão mais diferentes de nós do que somos diferentes dos chimpanzés" [ Yuval Harari.]

23/12/2015

o mundo é composto de mudança !


Ser revolucionário é quase sempre "ter razão antes de tempo e fora do seu tempo" !

Uma ideia nova  aparece sempre como uma ameaça ao "status quo" e sistema de poder implantado e prontamente rechaçada, muito embora hoje vivamos tempos em que a ciência e as suas fantásticas descobertas, embora muitas vezes ignoradas, pelo menos não são logo condenadas.

A trevas dissiparam-se um pouco mais nesta nossa era, mas ainda não o suficiente para que as novas ideias tenham o caminho facilitado,  muito pelo contrário.

FGonçaves
"in" 14Dec2012.

Salvem os bancos e afoguem as pessoas!

Esta ideia peregrina de manter um povo na escravidão com salários de miséria, ao mesmo tempo que se salvam bancos (ao mesmo tempo que se evaporam muitas dezenas de milhares de milhões de euros) e se fazem negócios sempre à custa de perdas do estado, sem qualquer transparência, faz-nos temer o pior.

Um país cuja economia é baseada no domino de uma mão cheia de crápulas e párias, que assentaram arraias neste pobre país, e o vão destruindo com dívida pública contraída para satisfazer a camarilha que se instalou no poder, não poderá ter qualquer futuro.

Sem uma mudança radical desta forma abjecta de exercer o poder em Portugal, substituindo-a por uma governação do país, como total transparência das contas públicas e da forma como se exerce a justiça em Portugal, nunca sairemos deste lodaçal em que nós cidadãos nos deixámos estagnar.

Enquanto este sistema de párias dominar o país, controlando simultâneamente os media e evangelizando o povo a seu bel-prazer, Portugal nunca terá futuro nem rumo, que não seja a mais completa falência e pobreza sem fim!

Sim, infelizmente 2016 vai com certeza ser pior que 2015 e assim por diante! A não ser que
você ainda acredite no pai natal ou na branca de neve!

Festas Felizes e um ano de maior clarividência para todos os cidadãos deste pobre país à beira mar estacado!

Francisco Gonçalves
"in" 23Dec2015

A crise que fustiga Portugal e que grassa por toda a Europa é sobretudo de valores e princípios, que não existem de todo.


16/12/2015

Quem cria empregos e dinamiza a economia dos países !

É bom lembrar que não são os "patrões" de lixo incrustado deste país que criam empregos.

Quem cria oportunidades de negócios e logo mais empregos.. são os CONSUMIDORES!

Portanto esta ideia de economistas medievos, de que é preciso tratar as associações patronais nas "palminhas" e ainda por cima dar-lhes incentivos (que são dinheiro deste pobre povo), para eles desbaratarem sempre, sem qualquer consequência, terá que parar para bem deste país.

O salário minimo em Portugal é uma ignominia e em minha modesta opinião deveria ser fixado em valores decentes, como 600,00 Euros.

Haveria certamente "patrões" (e muitos) a clamar que não poderiam pagar este nível de salário. E a solução para estes seria simples. Apenas teriam que demonstrar contabilisticamente, perante a autoridade tributária e/ou segurança social, de que tal não poderiam satisfazer. E então se cumprissem os critérios definidos por legislação adequada a este fim, teriam a possibilidade de contratar colaboradores abaixo do tecto máximo do salário minimo. Mas apenas enquanto a sua situação contabilística assim o indicasse. 

E desde modo acabariam os "choradinhos" que se passam há 40 anos e sempre com dinheiro dos contribuintes a ser delapidado nesta gente, sem que a economia do país saia deste buraco sem fundo e lamacento. 
Assim continuaremos a viver numa economia de casino sempre numa base de subsistência e assistencial, sem qualquer fim à vista!

Futuro neste país ?? Só na fuga aos impostos generalizada, branqueamento de capitais e sempre a crescer a socialização dos prejuízos de privados (bancos e empresas) por alguns milhares de pilantras que nos desgovernam e seus amigos subsidio-dependentes.

Francisco Gonçalves "in" 16Dec2015
( francis.goncalves@gmail.com )

Apesar destes "patrões" bem "pobres" que temos, apenas este ano os carros de topo de gama (Maserati's, Ferrari's, etc) subiram em termos de vendas em mais de 23% !!! 
Não me digam que foram os desempregados ou os mais de 3 milhões de portugueses a auferir salários de miséria, que os adquiriram??!!



15/12/2015

O país dos "psicopatos" bravos !

"A pior mentira é aquela que contamos a nós próprios"... Mas quando ultrapassamos este ponto e chegamos mesmo a afirmar mentiras, que sabemos são falsidades monumentais, e à custa de tanto as repetirmos se começam a transformar em verdades absolutas (para nós e para os que nos rodeiam), então chegámos à sociedade da plena PSICOPATIA!

Viva a sociedade dos "psicopatos" e o país decrépito em que nos estamos a transformar, a passos seguros e sem vacilar!

FGonçalves (2015)

13/12/2015

Portugal um país de (in) justiça medonha!

Enquanto neste país, o grupo COFINA e seus média, nomeadamente o Correio da Manhã, estão interditos de publicar notícias sobre o caso Sócrates. Este no entretanto é autorizado, e até encorajado pelos párias deste país, a dar entrevistas na TV. Isto estando este senhor em liberdade a aguardar julgamento e com acusações gravíssimas pendentes, como a fuga ao fisco, branqueamento de capitais e uso de posições de governação para proveito próprio, entre muitas outras!

São pois critérios de uma justiça com "dois pesos e duas medidas", que mais não provam que esta continua fiel e tradicionalmente, a ser um instrumento para os poderosos se defenderem dos que pouco ou nada têm.
E assim, deste modo (com ou sem consciência deste seu enquadradamento perfeitamente medievo!!?), continuam a empurrar a hipótese de Portugal vir a ser um país realmente democrático, socialmente justo e desenvolvido, para as "calendas gregas", ou quiça para o "julgamento final", a acreditar em tanta "prática religiosa" destas gentes.

É pois despudoradamente o "modus-operandi" de todo um sistema de justiça com mais de 40 anos de práticas, alicerçadas na velha ideologia de ser vergonhosamente forte para com os fracos, e fraca (e até submissa) perante os fortes.
Num país assim, onde a justiça se encontra ausente em parte incerta, a democracia é algo de impossível e só um regime de párias pode outorgar-se em todo o seu esplendor, como os "donos disto tudo e de alem mar perdidos".

Progresso e crescimento neste país? Só mesmo o da corrupção, fuga ao fisco e esclavagismo praticados a céu aberto por uns milhares de dono disto tudo, sempre a roubarem o erário público perante a inacção, e até com a bênção da grande maioria deste pobre povo, sempre explorado até à medula.

Francisco Gonçalves In 13 Dec2015

Impostos: empresas pagam cada vez menos e famílias cada vez mais...
"(..).
O diretor do centro de política fiscal da OCDE, Pascal Saint Amans, explicou que as empresas acabam sempre por encontrar uma forma de pagar menos impostos.
“A grande maioria das subidas de impostos desde a crise recaem sobre as famílias através de mais contribuições à Segurança Social, do IVA e do imposto sobre os salários”, acrescentou.
Em Portugal, as receitas fiscais totais representavam 32% do PIB em 2007 e passaram a significar 34,5% do PIB em 2013 e 34,4% em 2014, segundo as estimativas da OCDE. (..)."

Ver artigo sobre os 1000 párias e donos disto tudo.... e depois diga-me se ainda se orgulha de ser cidadão deste pobre país!
"(..)..
Depois de ter passado sete anos à frente da Direcção Geral de Impostos mergulhado num silêncio sepulcral, José Azevedo Pereira concedeu uma estrevista à SIC-Notícias. Entre o muito que não diz mas insinua, e as conclusões que consente que se tirem sobre a manipulação política a que o Fisco terá sido sujeito durante o último Governo, há uma informação que deixou cair sem ambiguidade: em 2014, quando saiu da Autoridade Tributária, uma equipa especial por si chefiada tinha identificado cerca de 1.000 famílias ricas – os chamados "high net worth individuals" – que, por definição, acumulavam 25 milhões de euros de património ou, alternativamente, recebiam 5 milhões de euros de rendimento por ano. ()..
Só é pena que tenha demorado oito anos a começar a falar e que, oito anos depois, a Autoridade Tributária continue a ser uma estrutura opaca, que silencia informação estatística fundamental para se fazerem debates informados, e que subtrai do conhecimento geral todas as valiosas interpretações que adopta. Não é só o acesso privilegiado de um punhado de contribuintes ao poder que distorce a democracia e desvia milhões dos cofres públicos. A falta de transparência das instituições públicas também. " In "Jornal Negócios" 12Dec2015.

23/11/2015

Os cidadãos só farão ouvir a sua voz se capazes de se unirem em torno de causas nobres

Para que estes poderes imensos dos sistema partidários e governos deles saídos possam acalmar-se na sua fúria de delapidar a riqueza que resta da nação, os cidadãos unidos terão que exigir total transparência das contas públicas e da governação, e uma forma de governar que seja totalmente aberta aos cidadãos em geral.


Isto de molde a permitir também que em qualquer momento os cidadãos possam inquirir, e com toda a legitimidade, quer o governo quer os deputados, sobre as leis, as politicas e as práticas de governação em curso.


Sem estas medidas os governos continuarão a manipular este pobre povo e a governar de forma aviltante e na mais absoluta perversão, com o estado e os "pulhiticos" sempre a servirem-se dos cidadãos, e não o contrário!


A democracia é uma construção e um aperfeiçoamento continuado e não algo que está pronto a ser servido apenas de 4 em 4 anos, com o direito de ir votar!


Francisco Gonçalves in 23Jan2013


Um exemplo será  a implementação de uma Declaração de Princípios Governamentais Abertos a adoptar pelos poderes centrais e locais :
"Com o desenvolvimento de novas tecnologias e uma população cada vez mais conectada e engajada, uma crescente pressão foi colocado nas [cidades] e nos líderes do governo, no sentido de adoptarem práticas de governo aberto que irão promover a transparência, a participação cidadã e colaboração. A fim de mudar a forma como o governo funciona, prestação de serviços públicos mais eficazes, e estabelecer uma democracia mais robusta, [Nome Concelho] adopta os seguintes princípios de governo aberto (..)."




Ou vamos continuar apenas a ser um Povo Resignado e Dois Partidos sem Ideias !??


Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. [.]
Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira a falsificação, da violência ao roubo, donde provem que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro. Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País
.
A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar.

Guerra Junqueiro, in 'Pátria (1896)'

A ausência de valores perante uma sociedade que glorifica apenas cifrões

Os valores e os princípios (ou a sua ausência) estão hoje em Portugal, principalmente,  na base de uma sociedade injusta,  de poderes assimétricos, demente e severamente doente, que ameaça fazer ruir por completo.
E sobretudo entre os que mais responsabilidades deveriam ter na comunicação e na difusão das ideias, requer-se de facto como mínimo honestidade intelectual, algo que também aparentemente se encontra desaparecido em parte incerta.
A mentira e a ignomínia são a prática corrente e a troco de bolsas cheias de dinheiro.
Criámos uma sociedade de monstros em vez de seres humanos e de homens que se dizem de SUCESSO, em vez de HOMENS DE VALOR, estando estes em extinção acelerada.

Francisco Gonçalves “in”26June2013

"Quem nos viu e quem nos vê jorrando povo sobre a mesa ...O que fomos e fizemos não chega para ser cantado quem nos viu e quem nos vê com um cifrão de cada lado".. [José Jorge Letria, in "Quem nos viu e quem nos vê "]

Uma absoluta singularidade!

Debatemo-nos com uma fatídica singularidade em pleno séc XXI !
Temos só e apenas povo em excesso e faltam cidadãos responsáveis e cientes dos seus direitos e da sua obrigação de por eles lutarem!

FGonçalves (2013)

A humanidade continua inculta e a ser incapaz de pensar pela sua própria cabeça!

Hoje em dia todos estudam, tiram cursos e obtêm títulos académicos sem fim, mas continuam a pensar e deter-se em processos decisórios tal como os seus ancestrais que viviam nas cavernas!


De outra forma não se explicaria a situação em que vivemos em Portugal e como toleramos estar a ser governados por um bando de burlões e corruptos, e ainda assim sempre dispostos para CONTINUAR A IR VOTAR NELES!


Se este povo tivesse memória q.b e fosse capaz de pensar pela sua própria cabeça, deixando de lado o seu lado inconsciente de o "códigos dos mortos", no seu processo decisório, esta gentalha TODA que nos desgoverna, há 40 anos, não teria mais lugar em Portugal, e só o exílio seria castigo bastante para a traição que têm vindo a cometer contra este pobre povo inculto, crédulo e a debater-se na miséria à portas de uma Europa de senhores coloniais e burocratas sem fim.


Francisco Gonçalves “in” 2014

“O comportamento da manada que segue o líder, sem sequer pensar! Continuamos, no nosso processo decisório, a ter comportamento idênticos aos nossos ancestrais que viviam nas cavernas, isto é baseados em lógica genética incorporada ao longo de milénios, que se desenrola ao nível do inconsciente apenas!”


"Democracy is a pathetic belief in the collective wisdom of individual ignorance."
H. L. Mencken

Translate