22/10/2015

A nação do sr. silva !

Portugal hoje não passa de uma pardieiro muito mal frequentado. Temos o sr. Silva que dizem ser o presidente do país, e o mais alto dignitário da nação. E temos também a Constituição da República todos os dias a ser ignorada grosseiramente por este senhor, pelos sucessivos governos da nação e pelos poderes “democráticos “ - deputados e orgãos judiciais, os quais “jazem” também aos pés da ganância e do poder económico.  Enquanto isto, o sr. Silva, em vez de fazer aquilo para que foi mandatado pelo povo, e até o jurou solenemente, que é ser o guardião da constituição, respeitando-a e fazendo-a respeitar, faz exactamente o oposto que é contribuir para a sua violação de forma consciente e levando-a ao limite, que é a subtracção aos portugueses a sua dignidade humana, e negando ao país qualquer hipótese de progresso.

Temos assim governos e um presidente que actuam na mais perfeita (in) constitucionalidade e sem o mandato inequívoco do povo (porque o traíram através da violação constante da Constituição da República), e tudo isto perante os outros órgãos de soberania e demais poderes da nação também coniventes, ou que assobiam para o lado, para disfarçarem a sua desfaçatez e de caras-sem-vergonha.

O sr Silva de mais alto dignitário da nação, assume-se de facto como o mais "baixo dignitário” da nação.
E digo mais "baixo", porque abaixo dele só existe a podridão de um sistema politico e judicial corrupto, caduco e que destrói Portugal e os portugueses, a cada minuto que passa.

FGonçalves (June2012)


Nota: A monumental queda, envolvendo crimes como fraude, branqueamento de capitais e até mesmo falsificação grosseira, de quase todos os bancos portugueses (sem excepção) e os seus prejuízos colossais bem como as luvas dos políticos e outros negócios entre amigos desde república das bananas, agora a serem pagos com juros por todo este pobre povo, estão aí para comprovarem o que acabo de descrever. Tal situação é em minha opinião inaceitável e um horrendo crime, talvez nunca antes perpetrado contra a nação, e sobretudo contra a grande maioria dos portugueses.

É claro, os resultados  desta acção politica desastrosa (e até criminosa) de uns poucos (de presidente, políticos da nação e elite que domina "isto tudo", ao longo de décadas) estão à vista de todos, os que ainda enxergam e podem facilmente constatar.

Portugal firmado na esperteza e nas mãos da máfia lusitânia

Portugal sempre esteve, e está, às mãos de um povo cuja genética e cultura estão rigidamente firmados na "esperteza", em vez da inteligência.
Esta “cultura lusa” tem favorecido sempre a "esperteza saloia" em desprestigio da inteligência, tanto na escola como na sociedade em geral.
Não admira portanto que o povo tome como autentico deus, qualquer idiota que pela sua "esperteza saloia" se tenha guindado a lugares de poder..
É claro que os resultados desastrosos de sempre para a nação, estão à vista de todos !

FGonçalves (Oct 2015)

Os portugueses são de facto deplorávelmente regidos e comandados pelo "código dos mortos"

Enquanto assim for o país estará vazio e à mercê da mais pura e aviltante banditagem de sempre e nas mãos da mais ignóbil espertice nacional!

"Um povo ignorante é instrumento cego de sua própria destruição. "

Enquanto um povo for incapaz de pensar pela sua própria cabeça, a sua escravidão estará assegurada e a nação continuará mergulhada nas trevas e na maior pobreza sem fim.

Estes passistas e costistas (indigentes dos socretinos) são profundamente salazarentos, e profusamente mais pardacentos e cinzentões que o próprio salazar.
O ditador pelo menos batia-os aos pontos em inteligência, o que já era algo que o diferenciava, embora não deixasse de ser um ditador!

De qualquer forma a inteligência é aquilo que nos diferencia do reino da indigência e da pobreza de espírito e esta é abominável, independentemente dos sistemas politicos e de regime mais ou menos totalitários...
tenho dito!

FGonçalves

19/10/2015

Um combustível chamado curiosidade !

"(..).Curiosidade é uma força de pesquisa que cada um de nós deve ter. Um espírito criativo requer principalmente curiosidade. Sem interesse sobre o que o mundo tem a oferecer, o que faz as coisas funcionarem, quais ideias as outras têm, você tem poucos motivos para ser criativo.
A curiosidade é que nos predispõe a investigar novas áreas ou a processar uma maneira melhor de fazer algo. Um filósofo organizacional diz muito sabiamente: a necessidade pode ser a mãe da invenção, mas a curiosidade é o pai da descoberta. (..).".

E você nunca sentiu curiosidade ?

As-it-is ! A pior das tiranias

"Em Portugal há muitas empresas geridas por incompetentes amigos do patrão. Despedimentos de gestores neste país, sós e forem os treinadores de futebol.." .

[entrevista do Jornal de Negócios, ao gestor da multinacional Cap Gemini]

‎"O povo, o povo soberano, que naquele dia tinha nas mãos o ceptro da sua soberania, não é menos dócil do que os irracionais que recordamos. O dia que devia mostrar-se orgulhoso, é quando mais se humilhava; quando podia dispor dos destinos dos seus senhores, é quando mais vergava a cabeça sob o peso que estes lhe assentavam. Não é semelhante esta força inconsciente do povo à do boi robusto e válido, que uma criança dirige e subjuga? Forte como ele, como ele dócil, como ele laborioso, como ele útil, não vê que a mesma força que emprega no trabalho lhe poderia servir para repelir o jugo. Ou, quando vê, é quando o desespero e a fúria, o cegam e impelem a revoltas tremendas."

(Júlio Dinis, 1868, sobre o voto útil nas eleições)

Vivemos tempos em que a esperteza domina tudo e todos !

Vale tudo em nome dos ditos cujos "mercados" !

Explica-se tudo, desde o abandono dos velhinhos, a redução das suas reformas, as criança com fome..e sem futuro, as crianças que não vão estudar porque os pais não têm dinheiro nem para comer, ..(..)., os maiores roubos sobre o colectivo da nação, em toda a sua história, a mentira insustentável e abominável na boca dos "pulhiticos", as injustiças abjectas da justiça....

..tudo, mas tudo é culpa dos "mercados".

Vivemos tempos onde o absurdo assentou arraiais e as trevas dissiparam toda a inteligência nacional.

Vivemos também um tempo de “silêncio dos inocentes”. E os outros, os que não sendo inocentes de todo, são considerados "as forças vivas da nação" ou antes a “reserva moral da nação” à beira da irrelevância??!!

Para estes salazarentos e cinzentões pós 25 de Abril, governar Portugal é um conceito que envolve governarem-se a eles, servirem os ricos e escravizarem o povo.

Entre o regime de Salazar e estes Salazarentos não vejo qualquer diferença. Apenas a capa protectora da "democracia" os separa!

Francisco Gonçalves “in 07Oct2010

A “CULTURA” NACIONAL DA ELITE QUE DOMINA O POVO!

A nossa sociedade e o nosso sistema de ensino não foram concebidos para criar seres humanos pensantes, que possam formar as suas opiniões próprias, ou sequer capazes de ser mais cultos ou até com sabedoria.
Muito pelo contrário, somos educados e estimulados a sermos apenas consumidores passivos, de tudo o que é material e se compra com dinheiro, mas sobretudo de consumirmos avidamente as ideias de uns “génios” medíocres, que os governos sempre contratam para o efeito.

E vivemos hoje numa sociedade onde se produzem todos os dias, mais e mais livros, com muitos mais idiotas a escrevê-los, para pessoas mais alfabetizadas sempre prontas a consumir ideias!

Sejam portanto bem vindos à sociedade idiotizada do consumo imediato!

E ainda assim, acham que Marx não tinha razão quando afirmou com a força da pura racionalidade, que "as ideias da classe dominante são, em todos os tempos, as ideias dominantes ", e que determinam como o povo deve pensar e comportar-se (bem, claro).
E aquilo que a neurociência hoje já deu como provado, afirmou-o também Marx "Não é a consciência do homem que lhe determina o ser, mas ao contrário, o seus ser social que lhe determina a consciência.".

Como tal, NADA é mais perigoso que um IDIOTA com iniciativa ...

Os idiotas, crêem em tudo que ouvem. O problema é que hoje o número de idiotas a ouvir e escutar tudo, é muito maior.

Mais livros, mais pessoas alfabetizadas consumindo ideias. No fundo temos vindo a criar mais e mais, perfeitos ‘idiotas letrados’ ! ".

E atenção, muita atenção que agora há a internet e o perigo fica potencialmente aumentado, a cada dia que passa.
‎" A principal meta da educação deverá ser a de criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." [Jean Piaget in 1932]

Francisco Gonçalves "in" 10March2013
"Ter escravos não é nada, mas o que se torna intolerável é ter escravos chamando-lhes cidadãos."
[Denis Diderot]

Ideias que funcionam !

Será que o Governo pode ser suportado na Internet, tornando-o transparente e aberto?

A programadora e activista Jennifer Pahlka acredita que pode - e que as aplicações construídas de forma rápida e barata, é uma maneira nova e poderosa para conectar os cidadãos, entre si e com os seus governos - e  vizinhos...

Spread the idea ! Difunda esta ideia!

FGonçalves (May2013)

TED Talks - Spread the Ideia

"O egoísmo pessoal, o comodismo, a falta de generosidade, as pequenas cobardias do quotidiano, tudo isto contribui para essa perniciosa forma de cegueira mental que consiste em estar no mundo e não ver o mundo, ou só ver dele o que, em cada momento, for susceptível de servir os nossos interesses."

[José Saramago]

O coeficiente de Gini que me deixa envergonhado no país adiado!

Coeficiente de Gini - Portugal no seu pior! De Salazar até hoje vai o salto de um anão e o país é do Charlatão (ou dos muitos charlatões dispostos em cadeirões de poder de uma canalhocracia sem fim). 

"Quem nos viu e quem nos vê jorrando povo sobre a mesa ...O que fomos e fizemos não chega para ser cantado quem nos viu e quem nos vê com um cifrão de cada lado." [José Jorge Letria]

Coeficiente de Gini - Dados de 2009

13/10/2015

Qual é a melhor medida para o sucesso e a produtividade ? Será a Felicidade ?

"Quão feliz é você? Quanto a sua empresa lucrou neste trimestre? Que pergunta é mais importante para você? Se você está mais preocupado com o os lucros então pode-se suspeitar que responder à primeira questão não vai ser muito positivo.
Com isso em mente, fiquei muito feliz de ouvir os butaneses, que introduziram um ministro para a Felicidade.
Este reino do Himalaia tem uma nova medição de prosperidade nacional também - "Felicidade Nacional Bruta" ou FNB - Ao concentrar a atenção nas pessoas e no seu bem-estar, em vez de produtividade económica, é bem provável que isto seja um efeito em cadeia para os negócios também.
Afinal de contas, uma força de trabalho feliz faz para uma equipe mais bem sucedida e produtiva. Sucesso e dinheiro podem contribuir para a felicidade, mas a felicidade em si é outra coisa completamente diferente.
Palavras como "família", "amigos", "amor" e "riso" têm muito mais a ver com a felicidade do que palavras como 'produto interno bruto', 'capital' e 'receita'. Dinheiro é um subproduto, mais que as metas significativas, tais como diversão, paixão e sabedoria. Como já disse antes, se se empenhar em divertir-se, fazer o bem, o dinheiro acabará por vir também.
Talvez pudéssemos aprender uma coisa ou duas, a partir do Butão e do seu recém-eleito Ministro da Felicidade.
E que outras medidas de sucesso são importantes para você? Ou que dirá de um país que preocupa mais com a FIB (Felicidade Interna Bruta) do que com o PIB (Produto Interno Bruto) ? " (fim citação)
Autor Richard Branson da Virgin Corp]
Em 09 de novembro de 2012, publicado no Linkedin

Aqui deixo uma pequena reflexão sobre produtividade e felicidade dos cidadãos ! :)

A economia deve servir as pessoas e não servir-se delas, e os cidadãos mais que números ou estatísticas baseadas na economia, são seres humanos, com direitos consagrados constitucionalmente e globalmente à escala planetária. E mais, são eles os únicos activos (e mola real) dos países, das empresas e das famílias.

O que nos dirá um país que enceta a sua preocupação governativa, mais com a FIB (Felicidade Interna Bruta) do que com o PIB (Produto Interno Bruto), a economia, as estatística, os números e os "déficits" ? Será que afinal há vida para além do déficit ou este é apenas uma consequência de sociedades que em vez de se focarem nos activos, apenas correm atrás do prejuízo e dos números sempre perdidos ?
A neurociência moderna já nos demonstrou há algumas décadas que sem paixão nem emoções positivas não há mais que robots em busca da sobrevivência a qualquer preço!
E não será também por consequência de se colocarem sempre os números à frente das pessoas, que os países não progridem e as democracias são hoje meros instrumentos de controle das massas, transformadas em hordas de escravos ?

E que tal invertermos este "modus operandi" de séculos que apenas ditam escravatura e exploração da maioria, em nações prósperas e onde o desenvolvimento e a inovação passam a ter como propulsor a felicidade dos seus povos ?

Francisco Gonçalves "in" 13 Oct 2015

Translate