18/02/2011

Construindo pontes para o futuro com uma nova cultura de colaboração !


É ponto assente nos dias de hoje que a colaboração é um factor determinante no desempenho global das empresas e resultados de estudos recentes mostram que esta pode impactar positivamente cada uma das normas de desempenho - a rentabilidade, o lucro e do crescimento das vendas - determinando o desempenho global das empresas no mercado.
Ainda de acordo com esses estudos o nivel de colaboração é medido em função de dois factores bases principais, que são:
  • A Orientação de uma organização e infra-estrutura de colaboração, incluindo as tecnologias de colaboração, tais como serviços de audioconferência, conferência Web e mensagens instantâneas.
  • A natureza e extensão da colaboração que permite às pessoas trabalhar em conjunto, bem como a cultura de uma organização e processos que estimulam o trabalho em equipe.
E as tecnologias de colaboração já percorreram um longo caminho ao longo dos últimos cinco anos. Inicialmente adoptadas como apenas um instrumento de optimização de custos nas empresas, estão agora os gestores a perceber os benefícios da sua adopção, no dia-a-dia, e que estas podem efectivamente contribuir com crescimento e produtividade. Isso reflete-se também na pesquisa da Gartner, que estima a indústria de conferência Web deverá alcançar US 2,8 mil milhões de dólares, até 2010.

Um crescimento tão rápido em tão curto período pode ser explicado por vários factores. A colaboração (ver Gartner) proporciona um forte retorno sobre o investimento, maior produtividade e economia em viagens de negócios para as empresas que realmente fazem efectivo uso daquela. No entanto, a adoção da tecnologia ainda é um desafio para algumas empresas e muitos dos seus colaboradores não têm conhecimento ou não querem aprender e utilizar uma nova ferramenta de comunicação. Qualquer empresa que emprega tecnologia de colaboração, sem pensar com cuidado sobre uma estratégia de adopção, pode não vir a explorar grande parte dos benefícios.

Muitas vezes, em casos de lentidão na adopção, o cerne do problema é cultural. Métodos estabelecidos de comunicação - e, especialmente, a prevalência de e-mail - podem significar que os colaboradores não vêem a necessidade de usar métodos alternativos. Muitos acham que as ferramentas que já têm ou usam, como seja, enviar e-mail, mensagens instantâneas (IM), skype e telefonia IP, são bons o suficiente.
Estas ferramentas são realmente muito úteis ou mesmo indispensáveis nos dias de hoje, mas proporcionam uma experiência com menos recursos do que ferramentas completas de colaboração podem proporcionar. Aplicações de comunicações em tempo real, com interação ao vivo entre as pessoas que fazem uso da visão, som e voz.

Em contraste os e-mails permitem a troca de dados sem áudio, não oferecem o verdadeiro benefício de colaboração de uma conferência na web, onde os participantes estão em contato directo e em tempo real.
O uso crescente de utilizadores com mensagens instantâneas conecta utilizadores remotos e dota-os de comunicação em tempo real via texto, mas não é possível partilhar documentos de forma efectiva ou executar apresentações através de IM, portanto a capacidade de realmente trabalhar juntos num projecto é extremamente limitada.

O Trabalho em Conjunto
A Colaboração através de uma reunião on-line, por outro lado, pode ajudar a alcançar maior produtividade, permitindo aos utilizadores trabalhar juntos e partilhar qualquer documento de qualquer proveniência. As empresas que alcançaram o maior ROI ("Return on Investment") em colaboração têm deixado os seus colaboradores conscientes dos benefícios que estas tecnologias podem trazer e levantaram barreiras internas que possam desencorajar as suas equipes de utilizá-las.

Bem como a relutância em fazer a mudança para uma nova tecnologia e novos formatos de colaboração e partilha, em alguns casos os colaboradores desconhecem os benefícios pessoais que eles podem conseguir, através de uma maior flexibilidade de trabalho e economia de tempo.

A Construção de Confiança
Apesar de tecnologias colaborativas serem bastante fáceis de utilizar, alguns colaboradores podem sentir que é necessário dispôr de conhecimentos mais profundos e também partilhar aplicações pode parecer assustador para o utilizador inexperiente, e similarmente a pressão de ter de apresentar algo ao vivo pode significar mobilizar-se em torno de funções mais avançadas, que ainda não foram exploradas. Os benefícios completos não podem ser alcançados sem fazer uso integral das facilidades de uma solução deste tipo.

A experiência do utilizador final é aqui a chave de sucesso, e a solução deve ter o alcance e flexibilidade para lidar com reuniões que apresentem diferentes números de pessoas, independente do local físico, e que se distingam em termos do nível de apoio necessário.

Para uma solução de Conferência Web ter sucesso numa organização, todos esses pontos precisam ser considerados. Pesquisas recentes da Gartner sugerem que, em 2010, 70% das pessoas nos países em desenvolvimento vão gastar dez vezes mais tempo por dia interagindo com pessoas pelo mundo eletrónico, através da Internet, mais do que no físico. A comunicação electrónica está em constante estado de evolução, e para a plena realização do potencial dos colaboradores, novas estratégias de colaboração precisam ser rápidamente mobilizadas e adoptadas (ver como a experiência de reuniões virtuais através do Second Life transformaram a Elite da IBM).

Os benefícios estão aí para serem alcançados, mas deve preparar-se, e os seus colaboradores devem estar prontos e dispostos a abraçar a mudança. Daí a necessidade de uma nova cultura de colaboração e um espírito totalmente aberto para a mudança. Citando o Gen. Shinsek dos EUA "Se não gosta de mudança, ainda vai gostar menos da irrelevância.".
Uma nova cultura é pois a chave do sucesso na colaboração e a via para as organizações obterem um retorno correspondente na adopção de tecnologias de colaboração e uma maior eficiência em todas as funções do negócio, num mundo em constante mudança e competição cada vez mais acelerada.

Charles Darwin, afirmou: "Na longa história da humanidade (incluindo as várias espécies animais) aqueles que aprenderam a colaborar e improvisar mais efectivamente têm prevalecido".
Francisco Gonçalves in 2009. (francis.goncalves@gmail.com)


· · Partilhar · Eliminar

17/02/2011

VISÃO é poder ! As tecnologia estão a mudar radicalmente as sociedades e o mundo em que vivemos !

VISÃO é poder!

Você precisa de uma visão para seu negócio e de uma cultura de partilha e de unidade, de paixão e emoções entre colaboradores e clientes.

No futuro as futuras escolhas do consumidor serão cada vez mais efectuadas em função da emoção e da paixão.

(veja o vídeo sobre o futuro da emoção nas escolhas do consumidor ( http://www.youtube.com/watch?v=006TWToSP7w ).


O futuro é sobre a emoção, mais ainda do que sobre a inovação ou invenção ... (É claro que eles também são muito importantes).

Basta olhar o poder das coisas simples, como SMS e Twitter: o que eles fizeram e como rapidamente colocaram o mundo em tempo real e modificaram radicalmente a forma de comunicar e de viver de muitos milhões de pessoas.


A tecnologia está transformando não apenas as empresas mas, mais e mais toda a sociedade e o mundo!


O futuro é já hoje!


Francisco Gonçalves in Feb 2011

francis.goncalves@gmail.com

A Educação do meu Umbigo !!

A Academia Khan é uma organização sem fins lucrativos com a missão de proporcionar uma educação a nível mundial para qualquer um, em qualquer lugar. Apesar de ser, por agora, o trabalho de um só homem, Salman Khan, esta biblioteca de vídeo 1600 é o recurso de vídeo mais utilizado como acção educativa através de exibições de vídeos no YouTube.


Avalie e recomende!!! Este projecto já mereceu um prémio da Google de 1 milhão de dólares, que o autor vai aplicar na tradução dos recursos educativos para as principais línguas do mundo!!


Por este caminho, se a escola pública e os governos incompetentes e ineficazes, delapidando muitos milhões e milhões de euros ao longo de dezenas de anos, não são capazes de resolver os conteúdos educativos, alguém ao nível do planeta se vai encarregar dessa nobre tarefa.


Estamos à beira de um ensino à escala planetária e isso poderá trazer amplos benefícios para a humanidade. Desde logo uma cultura mais abrangente que possa aproximar mais os povos e as culturas!!


Vale a pena refletir nisto!!


A Academia Khan:

http://www.facebook.com/video/video.php?v=181364165210965&oid=159403248441&comments

Franciso Gonçalves (2011)

Ler também nota relacionada - Os Sistemas de Educação e uma aproximação a um sistema de educação universal

http://www.facebook.com/note.php?note_id=451602249924

Os Sistemas de Educação e uma aproximação a um sistema de educação universal


Uma aproximação a um sistema de educação universal

Introdução
Tendo como objectivo chegar à aldeia global, e vivendo o mundo inserido numa vasta comunidade global, que a web teve o poder de unificar, julgo criadas as condições para que se lance uma iniciativa global em educação (GEEP - Global Education E-Learning Platform).

A ideia é a de criar uma plataforma de e-learning global, em moldes de "Software-As-A-Service", partindo do software Moodle (Open-Source Php Platform) e Sloodle (3D Second Life), melhorando os mesmos e integrando-os com ferramentas colaborativas, à semelhança das que a Google (e outras empresas como a Mindtouch), tem vindo a desenvolver no seu Google Docs e ainda aplicando a tecnologia de universos virtuais 3D ( como o ex-Lively e Second Life, criando desta forma "universos" de aprendizagem construtivista em 3D ).

Esta plataforma GEEP (Global Education E-Learning Platform) deverá poder suportar um sistema unificado do formato de cursos e APIs, que poderão ser desenvolvidos para esta plataforma, e eventual compatibilização / integração com sistemas de e-learning já existentes, como é o caso da plataforma Moodle, para a qual já foram em todo o mundo desenvolvidos muitos milhares de conteúdos educativos.

Aqui deverão ser desenvolvidas duas ideias paralelas que são, a GEEP (Global Education E-Learing Platform), própriamente dita, e um sistema de cursos de padrão universal, que poderão ser modelizados, de acordo com as especificidades de cada Nação, ou mesmo Organismo do Mundo Inteiro (UMLS - Universal Modelling Learning Systems). Obviamente, para que isso seja possível, terá que se conceber um sistema de lições, o mais universal possível, dentro de uma filosofia conceptual em sintonia com os actuais padrões médios dos sistemas de educação em vigor, embora adequados à nova realidade e a uma nova era Conceptual, que já ameaça transformar o mundo e a economia global (Ver mais em: http://en.wikipedia.org/wiki/Conceptual_economy ).

O Alcance da Ideia deste Projecto
A ideia e conceitos que lhe são subjacentes, pretende envolver todas as comunidades de aprendizagem do mundo inteiro, independentemente dos Países ou Nações, tendo em atenção o grau de desenvolvimento e em respeito pelas culturas locais e regionais de cada Povo.

Isto permitirá que o conhecimento venha a adquirir um grau e valores universais, levando a educação para o nível de cidadãos do mundo e facilitando a obtenção de escolaridade, através de um simples computador e Internet. Seria também um grande passo da humanidade no sentido da educação universalmente distribuída, com custos bem mais inferiores, que aqueles que actualmente todos os Países do Mundo se defrontam e acredito, com uma qualidade e sentido universal, que com os sistemas actuais, nunca se conseguirão.

E seria sobretudo possível, nos Países mais pobres, distribuir, envolver e facilitar a educação, estendendo a mesma a um número cada vez maior de cidadãos do Planeta Terra.

A profundidade da ideia
Com a profusão e a facilidade de acessos cada vez mais poderosos à informação, está na hora de sistematizar e normalizar conteúdos credíveis que possam garantir a todos os cidadãos do Planeta, o acesso universal em matéria de educação e de conhecimento.

E nada melhor que uma plataforma e um sistema adoptado ao nível global, para materializar esta ideia, que certamente marcará um ponto de inflexão e progresso do mundo, traduzido numa revolução no acesso acesso universal aos vários níveis de educação, que vão desde o ensino pré-primário até ao Ensino Universitário.

A Acessibilidade da Ideia
Tratando-se de um sistema de abrangência universal, o conceito não poderá, tal como globalmente acima definido, ser materializado completamente a curto prazo. Mas será decerto bem possível, e numa primeira fase a criação de uma Plataforma GEEP (Global Education E-Learning Platform), que será baseado em algo já existente como o Moodle, e na adopção inicial do seu sistema de cursos de e-learning.

Numa segunda fase, que poderá estender-se por vários anos e envolvendo a colaboração de comunidades "open-source" do mundo inteiro, seria desenvolvido o sistema UMLS - Universal Modelling Learning Systems e impregnando na comunidade a criação dos próprios conteúdos, de utilização livre, ou mesmo com custos simbólicos, que traduzidos à escala global, poderão trazer enorme apetência de adopção e ainda maior envolvimento das comunidades !.

Uma Plataforma GEEP (Universal Modelling Learning Systems) e um Sistema UMLS (Universal Modelling Learning Systems) poderão, se adoptados universalmente, vir a impactar com todos os cidadãos do mundo, se esse for o caminho que vier a ser adoptado pelos Governos e Comunidades do Mundo Inteiro (ainda que numa versão Beta), e estou certo disso e da possibilidade da sua adopção concreta ao nível mundial, embora faseada como atrás referido.

Conclusão
O caminho no sentido de uma plataforma global de e-Learning e de um sistema de educação universal, acredito serão uma realidade nos próximos 10/20 anos. E o seu crescimento e adopção cada vez maior, impactarão e produzirão a maior revolução no mundo, ao nível da educação, fazendo de cada habitante do Planeta Terra um pleno cidadão do Mundo. Fica então, senão resolvido de todo pelo menos minimizado substancialmente, um problema actual com a educação em que todos os Países do mundo "per si", onde se fazem esforços enormes em novos programas de educação e sua constante modernização, que desta forma poderão ser pensados a uma escala global e pelo envolvimento de todas as comunidades de educação mundiais, com todos os benefícios daí decorrentes.

Utópia a reflexão? Talvez nem tanto.

Francisco Gonçalves / Oct 2008.
Francis.goncalves@gmail.com

Por Uma Educação de base tecnológica à Escala Planetária

Referências:
Conceptual Economy -
Computerized courseware -


· · Partilhar · Eliminar

















From Global Education Systems



A INOVAÇÃO É !!! LIDERANÇA DEVIA SER ......

"Conviva com os monótonos.... e vai tornar-se monótono. Conviva com os esquisitos.... e vai tornar-se esquisito.".


"Estamos numa era de desvio do Padrão Elevado. Estão a passar-se todo o tipo de coisas estranhas. Estão a surgir todo o tipo de competidores estranhos. Estão a todo o momento a ser formadas alianças estranhas. Como lidamos como a Estranhesa???? TORNE-SE ESTRANHO...".


"A fonte nº 1 são as pessoas lixadas - as pessoas que não são capazes de lidar com os disparates que vêem à volta deles."


"Demita os que fazem muitos planos. Contrate os desvairados!!!!".


TOM PETERS!

Rework - A Nova Realidade dos Negócios !!!

Rework - A nova realidade dos negócios e a mudança de paradigma na gestão de projectos e no lançamento de novos negócios !

Ignore o Mundo Real....

"Isso nunca resultaria no mundo real." Comentário típico quando se fala às pessoas numa nova ideia.

Este mundo real parece um sítio muito deprimente. É um lugar onde as novas ideias, as abordagens invulgares e os conceitos exóticos perdem sempre.


Razão tinha Albert Einstein para avisar que "se uma ideia à primeira vista não parece absurda então é porque não tem futuro."!!!

As únicas coisas que triunfam são as que as pessoas já conhecem e fazem, mesmo quando apresentam falhas e não são eficazes.

Dir-se-ia que estes habitantes do "mundo real" estão cheios de pessimismo e desespero. A sua expectativa é que os novos conceitos falhem. A sua presunção é que a sociedade não está pronta, nem tem capacidade para mudar.


Pior ainda, estes habitantes do "mundo real" querem arrastar os outros para o seu "túmulo". Se você for optimista e ambicioso, vão tentar convencê-lo de que as suas ideias são impossíveis de concretizar.

Vão dizer-lhe que é uma perca de tempo. Pois NÃO ACREDITE!!! Este mundo pode ser real para eles, mas você não tem de viver lá.

Sabemos disso porque, de inúmeras maneiras, a nossa empresa se adapta ao mundo real. No mundo real, não é possível ter mais de uma dúzia de funcionários espalhados por oito cidades em dois continentes. No mundo real, não se pode atrair milhões de clientes sem se ter vendedores nem publicidade.


No mundo real, não se pode revelar a formula do sucesso ao resto do planeta. Mas nós fizemos tudo isso e tivemos sucesso!!!


[Extraído do Livro REWORK - Mude para Sempre o modo como se trabalha de Jason Fried e David Heinemeir Hansson, fundadores da 37Signals e aplicação BaseCamp]


"Atingir a excelência só pode ocorrer se a organização promover uma cultura de insatisfação criativa".- Lawrence Miller

Rework

Sobre o Sistema de Educação em Portugal - A Mudança de paradigma!

Sobre a Educação: O problema da educação não tem a ver com mais ou menos directores, mais ou menos escolas, mais ou menos professores, mais ou menos infra-estruturas, mais ou menos magalhães!!!Tem isso sim que se ousar reformular todos os programas de ensino a começar no pré-escolar e a terminar, por agora, no 12º ano.

O ensino actual não está preparado nem apto a enfrentar uma massificação do ensino obrigatório até ao 12º ano e muito menos ainda estruturado de forma a preparar os jovens para pensarem e reflectirem, em vez de assimilarem matéria passivamente, e completamente inadequado para que eles enfrentem os novos desafios do Séc XXI, e num mundo globalizado e estruturado sobre uma sociedade cujo "petróleo" (ou riqueza) é o conhecimento e a manipulação da informação em mundos reais e virtuais, dominados pela conceptualidade e o design.


Os momentos de crise são normalmente de forte apelo à criatividade e são momentos de inspiração e de fazer germinar novas ideias, cortando com sucessivas melhorias de sistemas que já não responde nem nunca serão solução. Só uma revolução na cultura e na forma de pensar a educação, e não só, nos pode salvar e ajudar a re-erguer Portugal bem alto novamente!!!


E esta é a oportunidade grandiosa que temos para criar novas gerações capazes de pensar, reflectir, inovar e de ousarem empreender, de forma massiva, criando em Portugal um exército pronto a combater e vencer na era digital do conhecimento e da conceptualidade, levando Portugal por novos mares nunca dantes navegados, tal qual ousámos fazer quando o Infante D. Henrique no passado ousou lançar novos empreendedores, tendo criado a primeira época de globalização e um enorme sucesso para a Nação e suas gerações vindouras de então!!!!!

Ousemos desafiar o caos em que fomos lançados por políticas erradas dos últimos 36 anos e crises económicas, que só nos derrubaram porque não estávamos preparados!!


‎"O microchip irá colonizar todas as actividades repetitivas. E vamos ter de lutar para nos re-inventarmos !". Tom Peters!

Bem vindos ao Séc XXI e à Era Conceptual, a era onde vai predominar a dominância do hemisfério direito do cérebro !!! uauhhh!!! A criatividade é tudo e a produtividade é automatizada!


Francisco Gonçalves / Dec 2010


O futuro está aí e a mudança inevitável - A inovação e a criatividade na era Conceptual !!!

A web desafia velhos monopólios e desequilíbrios de poder.

Graças principalmente à internet, monopólios de longa data e desequilíbrios de poder estão sendo desafiados à medida que mais pessoas, de mais regiões do mundo, se conectam, colaboram e competem no palco global. Jovens em toda parte questionam as tradições de instituições veneráveis, como a universidade, os jornais, as organizações médicas e todo o aparato do governo representativo.

Setores industriais com dificuldades, a exemplo de energia e transportes, estão no meio de uma profunda mudança enquanto a era digital revela novas oportunidades para acelerar a pesquisa e a colaboração em torno de alternativas sustentáveis.


No futuro, vamos olhar para o período atual como um tempo em que o mundo iniciou uma transição histórica do capitalismo industrial para um novo tipo de economia baseado em novos princípios e novas formas de pensar e agir. Alguns, obviamente, vão dizer que os efeitos de longo prazo dessas mudanças são difíceis de prever com precisão. Pode ser verdade, mas vale lembrar que o futuro é algo para se alcançar, não para predizer. E, no meio da névoa e da confusão, começam a se revelar os contornos de novas formas de organização humana, tão revolucionárias quanto aquelas trazidas pela invenção da imprensa há cinco séculos. Graças ao novo meio global de colaboração e a um nível de conectividade social sem precedentes, as pessoas em empresas, governos e na sociedade como um todo têm poderosas ferramentas para reinventar as instituições com base em novos princípios organizacionais.


Em cada situação, estamos vendo como a nova era de inteligência mostra que as abordagens convencionais são insuficientes e, muitas vezes, completamente inadequadas. A inovação colaborativa, por exemplo, está matando, nas escolas de negócios, a velha mentalidade de planejar e tocar em frente. Os cidadãos que criam as políticas e serviços provam que o estilo “tamanho único” de governo é um anacronismo.


As universidades do século 21 se parecem cada vez mais com uma rede global do que com uma torre de marfim. E, assim como os jornalistas agora convivem com um ecossistema muito mais amplo de produtores de conhecimento, comunidades auto-organizadas de pacientes e uma ênfase maior em educação e medicina preventiva estão começando a melhorar os cuidados convencionais com a saúde.

Em meu ponto de vista, já chegaram o tempo e as ferramentas para que cada um de nós possa abraçar a transformação em nossas casas, comunidades e locais de trabalho.


Autor: Don Tapscott

extraído de Info.abril.com.br em 06 Dez 2010

Translate