17/05/2013

A economia de Portugal em estado comatoso !


Ainda ontem o ministro da economia Álvaro Santos Pereira dizia que queria baixar o IRC para as empresas "significativamente". Mas quando lhe perguntaram se esta alteração seria para 2017, logo disse que não sabia nem se poderia comprometer, porque era tudo muito complexo. (??!).

Quando um país é gerido por pessoas com medo de tomar decisões, que simulam ideias que se propagam no tempo sem qualquer acção concreta no terreno, estamos entregues a uma bando de parolos, que não sabem sequer como funcionam as empresas e a economia real e pior, não fazem ideia do que é a vida das pessoas comuns.
Pois, se tal como afirmou ainda o ministro Álvaro (e ele sabe), que se baixarem o IRC em Portugal,  isso só por si pode significar o estimulo na atracção de investimentos para Portugal, que este país está a precisar como de "pão para a boca", então porque não tomar LOGO E HOJE, INICIATIVAS PARA QUE ISTO ACONTEÇA!!!!??
Em politica e em gestão sobretudo, nada pior que alguém que decide algo fora de tempo ou que nem sequer tem a coragem de decidir e fica paralisado. Aliás essa tem sido a prática dos nossos políticos ao longo destes 38 anos e têm-se limitado a empurrar os problemas para a frente, o que acaba sempre por nos conduzir fatalmente ao estado actual a que chegámos!
E se o caro Álvaro me permite aqui vão algumas simples ideias para fazer sair Portugal deste estado comatoso e morte lenta (NIH), mas aviso que é preciso coragem e ausência de medo para as implementar!

Vão afrontar “lobbies” e gente que se dispõe a criticar tudo e todos, mas coragem e determinação deveria também fazer parte de quem tem a responsabilidade por colocar a economia do país a funcionar! Certo ou errado ??


Então aqui vão algumas ideias simples (but Not Invented Here) :


Porque não e JÁ HOJE (É TARDE!) baixar a taxa de IRC para os 18% apenas e só por agora para todos os novos investimentos estrangeiros em Portugal ? Digo novos, e não pactuando com a “espertice nacional”.
E porque não isentar de IRC durante os primeiros 3 anos as "startups" nacionais ou estrangeiras que se venham a formar ? E porque não uma taxa de IRC mais baixa (ex. 15%) para as empresas com volume de negócios até 100.000 Euros anuais ?
E por último porque não deixar os sócios das empresas, que já são taxados em sede de IRC, não venham a ser duplamente tributados em sede de IRS ? (nesta fase também só para empresas com volume de negócios até 300,000 Euros) ??
CARO ÁLVARO, TENHA A CORAGEM DE IMPLEMENTAR ESTAS MEDIDAS JÁ HOJE E VERÁ QUE PORTUGAL COMEÇARÁ A RENASCER DAS CINZAS, TAL QUAL FÉNIX!!
Claro que são precisas mais medidas logo em seguida, como combater a corrupção e a fraude fiscal sem tréguas, eliminar a burocracia do estado (estamos em pleno séc XXI !), simplificar todos os “interfaces” com o estado, estimular a inovação no próprio estado dando o exemplo para o exterior e para as empresas, etc.
Mas o essencial será posto a funcionar e começará a dar frutos quase imediatos, assim haja a coragem
para também rapidamente implementar aquilo que já deveria ter sido feito há 20 anos atrás!
Será que é desta que Portugal vai mudar radicalmente ? Eu penso que sim porque estamos numa encruzilhada em que a frase mais adequada é “INOVAR OU MORRER ! “.
Qual iremos nós escolher caro ministro Álvaro Santos Pereira ?
Francisco Gonçalves
(francis.goncalves@gmail.com)


Enviar um comentário

Translate