22/10/2015

A nação do sr. silva !

Portugal hoje não passa de uma pardieiro muito mal frequentado. Temos o sr. Silva que dizem ser o presidente do país, e o mais alto dignitário da nação. E temos também a Constituição da República todos os dias a ser ignorada grosseiramente por este senhor, pelos sucessivos governos da nação e pelos poderes “democráticos “ - deputados e orgãos judiciais, os quais “jazem” também aos pés da ganância e do poder económico.  Enquanto isto, o sr. Silva, em vez de fazer aquilo para que foi mandatado pelo povo, e até o jurou solenemente, que é ser o guardião da constituição, respeitando-a e fazendo-a respeitar, faz exactamente o oposto que é contribuir para a sua violação de forma consciente e levando-a ao limite, que é a subtracção aos portugueses a sua dignidade humana, e negando ao país qualquer hipótese de progresso.

Temos assim governos e um presidente que actuam na mais perfeita (in) constitucionalidade e sem o mandato inequívoco do povo (porque o traíram através da violação constante da Constituição da República), e tudo isto perante os outros órgãos de soberania e demais poderes da nação também coniventes, ou que assobiam para o lado, para disfarçarem a sua desfaçatez e de caras-sem-vergonha.

O sr Silva de mais alto dignitário da nação, assume-se de facto como o mais "baixo dignitário” da nação.
E digo mais "baixo", porque abaixo dele só existe a podridão de um sistema politico e judicial corrupto, caduco e que destrói Portugal e os portugueses, a cada minuto que passa.

FGonçalves (June2012)


Nota: A monumental queda, envolvendo crimes como fraude, branqueamento de capitais e até mesmo falsificação grosseira, de quase todos os bancos portugueses (sem excepção) e os seus prejuízos colossais bem como as luvas dos políticos e outros negócios entre amigos desde república das bananas, agora a serem pagos com juros por todo este pobre povo, estão aí para comprovarem o que acabo de descrever. Tal situação é em minha opinião inaceitável e um horrendo crime, talvez nunca antes perpetrado contra a nação, e sobretudo contra a grande maioria dos portugueses.

É claro, os resultados  desta acção politica desastrosa (e até criminosa) de uns poucos (de presidente, políticos da nação e elite que domina "isto tudo", ao longo de décadas) estão à vista de todos, os que ainda enxergam e podem facilmente constatar.

Enviar um comentário

Translate