28/03/2013

Portugal e o aprofundamento da democracia representativa que urge cumprir-se!

" A democracia é algo de impossível enquanto o poder não puder ser partilhado por todos " [Gandhi]

Esta é também a forma como eu vejo o aprofundamento das democracias actuais pelo mundo, e por onde irá passar certamente o futuro da humanidade e um mundo cada vez mais justo, fraterno e onde a felicidade possa estar ao alcance de todos, também.

Mais democracia e um sistema politico assente na participação dos cidadãos!

Não queremos mais do mesmo nem fórmulas de democracia com 200 anos de existência, que estão hoje caducos e mais não respondem aos desafios dos tempos que vivemos, em plena globalização e num mundo conectado em tempo real!


É preciso aperfeiçoar novos modelos de democracia mais participativa, baseados na transparência, abertos aos cidadãos e sobretudo assentes em sistemas mais colaborativos, onde o poder e as decisões que lhe são inerentes possam, mais e mais, ser partilhados por todos.
As leis do país, tal como as decisões mais importantes e que a todos os portugueses dizem respeito, não podem mais continuar a ser feitas e aprovadas só por meia dúzia de auto-eleitos. A qualidade das democracia reflecte também o respeito pelo seu povo e promove e aproxima mais os cidadãos uns dos outros, contribuindo assim para atenuar também as desigualdades e promovendo maior equidade e justiça. 


Estamos em pleno séc XXI e não mais nos finais da Idade Média. A própria internet tem que ser um veiculo cada vez mais eficientemente usado, e em permanente desafio tecnológico, para aproximar mais os cidadãos entre si e numa relação mais próxima e bidireccional com o poder. Isto de forma a que, em tempo real, a democracia seja mais efectiva e eficiente na promoção continuada de mais bem-estar social para todos, e não mais só para alguns que se beneficiam entre si, num circuito fechado, com tem sido a prática até à actualidade.

Francisco Gonçalves “in” 16 March 2013.


O poder quando não se legitima pela conquista diária, torna-se ilegítimo, corrompe e é corrompido!

Video que recomendo todos vejam e a suscitar ampla reflexão de todos nós!

PORTUGAL DE TODOS: a lógica de uma nova economia

Artigo 2.º
Estado de direito democrático
A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa.
Enviar um comentário

Translate