25/11/2014

A impunidade e a imunidade de mãos juntas e sujas !

José Sócrates é um caso de polícia e carrega com ele crimes, que a serem provados, são da maior gravidade, perpetrados por quem devia dar o exemplo, e logo a exigir ainda maior mão pesada da justiça.
Mas não só.. e para além da fuga criminosa generalizada aos impostos e desvios sistemáticos de dinheiros pública na mais perfeita impunidade, e crimes estes praticados na mais ignóbil impunidade e até (pasme-se) aceites socialmente, ainda temos....

.. os auto-designados eleitos dos povo, que albergados, ou antes blindados na casa da "democracia", continuam a cometer diariamente crimes contra o povo que era suposto defenderem e para que foram eleitos, e que recentemente deram maus um triste espectáculo.
O de, na penumbra, terem aprovado novamente a lei das subvenções vitalícias, ou vulgo pensões para os políticos, que ao cabo de uns pares de anos em usurpação de lugares na casa que era suposto ser da democracia, lhes garante pensões generosas, que a grande maioria dos portugueses não consegue ter sequer ao fim  de mais de 40 anos de trabalho e após ter também contribuído com pesadíssimos impostos para o País.

Isto, em bom português, chama-se legislar em proveito próprio e para proveito próprio, e tal como
Sócrates que legislou os perdões para que capitais (na sua maioria ilícitos) e de origem sempre criminosa, regressassem a Portugal, e ele mesmo se beneficiou da lei... 
... pois é hora de criminalizar os que se dizem deputados e defensores do povo, e que ao longo destes 40 anos mais não têm feito do que legislar e actuar quase sempre, e só, em proveito próprio.

E não assobiemos para o ar, pois há anos que Maria José Morgado, e outras figuras como Dr. Paulo Morais da Transparência Internacional, têm afirmado a propósito do enriquecimento ilícito da classe politica, nomeadamente e não só que “a maioria dos políticos conseguem acumular autênticas fortunas e saem ricos da politica, ao fim de uma mera dezena de anos! “. 
Fortunas essas agora também acumuladas, e como puderam aprovar recentemente, com pensões ou subvenções, que são uma afronta a todos os portugueses honestos e íntegros.

E para quando todos nós portugueses de bem pormos cobro a isto?

Francisco Gonçalves "in" Notas Soltas @ 25 Nov 2014.
( francis.goncalves@gmail.com )

"(..). somos produto de dois séculos de falsa educação fradesca e jesuítica, seguidos de um século de pseudo-educação confusa, somos as vítimas individuais de uma prolongada servidão colectiva. Fomos esmagados (...) por liberais para quem a liberdade era a simples palavra de passe de uma seita reaccionária, por livres-pensadores para quem o cúmulo do livre-pensamento era impedir uma procissão de sair, de maçãos para quem a Maçonaria (longe de a considerarem a depositária da herança sagrada da Gnose) nunca foi mais do que uma Carbonária ritual. Produto assim de educações dadas por criaturas cuja vida era uma perpétua traição àquilo que diziam que eram, e às crenças ou ideias que diziam servir, tínhamos que ser sempre dos arredores..." ..
Fernando Pessoa, in 'Sobre Portugal - Introdução ao Problema Nacional'
Enviar um comentário

Translate