14/12/2012

É má gestão, que contribui para baixas de produtividade dos Europeus ?


Será a má gestão, que contribui para baixas de produtividade dos Europeus ?    

Autor: Adam Crouch

Os americanos têm sempre olhado para a Europa como o velho mundo. Agora eles têm mais um motivo para qualificar essa diferença. A Europa está a envelhecer muito mais rápido do que o mundo novo. O velho mundo enfrenta um grande desafio demográfico. Este ano, a expansão da União Europeia de 15 para 25 países, aumenta sua população de 380m a 455m, muito à frente do América com 295m. Ainda em 2050, os Estados Unidos terão duplicado a sua população: se as previsões se confirmarem, haverá 420m americanos, em comparação com 430 milhões de europeus.
........
A expectativa de vida está aumentando a um ritmo idêntico na maioria dos países ricos, embora não na Rússia. Assim, a fertilidade é baixa o que explica porque a população da Europa está a envelhecer mais rápido do que a americana. Na Alemanha, a idade mediana aumentará de 40 em 2000 para 47 em 2050, na Itália, vai chegar a 50 já em 2025. Na América, pelo contrário, irá subir apenas de 35 em 2000 para 40 em 2050.

Vamos agora ver a multiplicidade de problemas que ter uma população muito mais velha e o que este facto vai causar para a Europa. Algumas soluções possíveis :

Crescimento mais rápido da produtividade ajudaria, mas seria tolice assentar a estratégia sobre esta premissa. Na verdade o crescimento da produção por trabalhador pode muito bem cair no envelhecimento da economia, dada a ligação entre a inovação e a juventude. O empreendedorismo tende a ser mais forte em populações mais jovens, diz Sylvester Schieber, director de pesquisa da Watson Wyatt.

Tenha-se em mente que a produtividade europeia já está baixo em relação a seus pares, e o rápido envelhecimento é susceptível de agravar ainda mais esta situação.

Mas porque é que a Europa tem problemas com a produtividade? Porque as nações europeias não são tão produtivas quanto os seus pares económicos? As Leis trabalhistas e uma falta de investimentos em TI  são nomeadamente algumas das principais razões, mas um novo culpado já foi descoberto: A má gestão.

A Proudfoot Consulting realizou uma estudo tendo em consideração as diferenças no crescimento da produtividade entre os países, e as causas por detrás deste. Eles adoptaram uma abordagem a nível micro, perguntando a executivos sobre os problemas que sufocam o crescimento da produtividade nas suas empresas. E eles descobriram que o maior obstáculo à produtividade, especialmente na Europa é o "insuficiente planeamento de gestão e controlo":

Factores que observamos nesta categoria foram:

  • medida não-existente, deficientes ou inadequados procedimentos
  • objectivos muito baixo, muito alto, ou contra seus pares em vez de 'absoluta' e busca da excelência e da superação individual.
  • problemas ignorados ou não previstos
  • comunicação inadequada
  • indicadores chave de desempenho não definidos ou mau desempenho medido inadequadamente.
  • planeamento de uma perspectiva já existente (e muitas vezes intrinsecamente errada), em vez de olhar para uma perspectiva potencialmente melhor.

Aqui está o que The Wall Street Journal diz sobre ele:

"Talvez baixa produtividade na Europa não seja um resultado de curto horário de trabalho ou tecnologia inadequada após tudo o que se têm especulado - mas sim um produto puro e simples de má gestão.

"Gerindo para a mediocridade", um estudo publicado pela Proudfoot Consulting, onde foram observados os trabalhadores em nove países, mais de 10.000 horas e constatou-se que os patrões estão por detrás de baixa produtividade, uma noção que desmascara a sabedoria convencional. "A culpa pode ser colocada directamente nos pés de gestão, que é acusado de falta de planeamento da gestão e controle e de prestação de supervisão inadequada", diz um comunicado que acompanha o estudo.

Que os anéis de uma nota de verdade Andreas Kiffe, que trabalha em uma das maiores instituições financeiras da Alemanha, em Frankfurt. Sr. Kiffe disse que ele possa de fato ser 
mais produtivo se o seu supervisor estava mais perto espiando por cima do ombro. "Agora o meu chefe está de férias, e é uma espécie de silêncio no momento", diz ele com um sorriso. Compreensivelmente, o banqueiro preferiu que seu patrão não fosse mencionado.

E essa atitude vem da Alemanha, que entre os países incluídos no estudo tinham pelo menos o "perdido" dias de trabalho por trabalhador por ano - apenas 74 no total - o que sugere que pode haver algo a ser dito para a eficiência alemã. Um dia perdido é definido como um dia inteiro de trabalho, durante o qual o trabalhador não fez nada. "

Barry Ritholtz fez um pouco mais de pesquisa, combinando isso com visões do Banco Central Europeu. Vale a pena experimentar.

(Via BlogTalkRadio) Quando a mediocridade vence!
Os Links originais deste artigo em Inglês : 


http://bigpicture.typepad.com/comments/2004/09/weak_european_p.html

A produtividade e o crescimento da produtividade devem ser a primeira consideração económica em todos os momentos, não o último. Essa é a única fonte da inovação tecnológica, de mais emprego e maior riqueza."
[William E. Simon]


"Uma variedade de estudos nacionais e internacionais indicam que a implantação de uma ampla base de tecnologias de sistemas de informação pode ter um impacto substancial na produtividade económica de nosso país e crescimento, bem como o sucesso educativo e social dos nossos cidadãos." [Tim Holden].

Ver também artigo sobre a situação da TI em Portugal e no Mundo (artigo de opinião).


Por Francisco Gonçalves in 14Dec2012
( francis.goncalves@gmail.com )

O poder quando não se legitima pela conquista diária, torna-se ilegítimo, corrompe e é corrompido!

Enviar um comentário

Translate