04/02/2013

A Maçonaria, o secretismo e os seus princípios !

Ainda umas palavras a propósito da "bendita" Maçonaria !

(...)..A maçonaria é aquela organização que se diz imaculada e mais ainda quem intervíu nos principais acontecimentos da história.
Logo os seus membros são pessoas acima de qualquer suspeita e porque esta organização tem nos seus princípios palavras como "liberdade, democracia, igualdade, fraternidade e o aperfeiçoamento intelectual", então deverá merecer o respeito de toda a sociedade, nas palavras dos seus defensores!

A questão é que ao longo da história esses nunca foram os princípios que guiaram esta organização, que antes de mais sempre se posicionou junto aos poderes instituídos, para melhor os manipular e trazer mais poder e bens para os seus membros, sempre em desfavor do resto da sociedade.

Aqui fica claro que "igualdade, fraternidade e o aperfeiçoamento intelectual", são meras palavras de retórica nos seus discursos e actuação.
Isto para não nos referirmos aos acontecimentos históricos de final do séc XIX e início do Séc XX, em que esta organização esteve na origem do assassinato do rei D. Carlos e de muitos outros desvarios desta ordem, e de outra ainda de pior carácter designada pela carbonária, hoje extinta mas cujos membros integraram a maçonaria no inicio do Séc XX!

Por último de referir que uma organização como a maçonaria, cujos membros se acham superiores em carácter e em aperfeiçoamento intelectual, relativamente à restante sociedade e que ao longo do último século se têm envolvido em autênticas guerras de poder interno, fica também claro o nível de evolução desta organização.

Ainda e a terminar esta gente que prega lá do alto dos seus pergaminhos históricos a sua superioridade que, diga-se de passagem eu nunca encontrei ao longo da história, e se envolvem em pleno Séc XXI em rituais idênticos aos praticados no antigo Egipto há mais de 7.000 anos atrás. E a sua acção na actual sociedade portuguesa apenas se destaca pela negativa, isto é por sempre estarem (e lutarem clandestinamente) para bem se posicionarem junto ao poder, usando as suas ligações para se auto-promoverem, obterem "status" e bens materiais apropriando-se assim do que pertence à comunidade e ao povo em geral. Tal "modus-operandi" deixa estas organizações secretas e maçomnicas numa postura de ética e moral muito abaixo do que será tolerável numa sociedade democrática e transparente.(...).

Por seu lado a sua estrutura organizacional e o secretismo em que se envolvem são uma prática que em nada ajuda a desenvolver os valores humanos e muito menos a democracia e o progresso, que se querem abertos e transparentes.

Daí que não faça qualquer sentido que organizações secretas militem, em pleno Séc XXI, no seio de sociedades democráticas, que se querem cada vez mais abertas ao progresso cientifico, social e humano, a não ser que queiramos continuar a vegetar nas trevas da idade média, por entre dogmas, preconceitos e mitos que desde sempre têm vindo a impor limitações à liberdade individual e constrangimentos aos cidadãos, nos seus direitos e acesso universal à cultura e ao saber.

Francisco Gonçalves in "Notas Soltas".
10Jan2010

(..). somos produto de dois séculos de falsa educação fradesca e jesuítica, seguidos de um século de pseudo-educação confusa, somos as vítimas individuais de uma prolongada servidão colectiva. Fomos esmagados (...) por liberais para quem a liberdade era a simples palavra de passe de uma seita reaccionária, por livres-pensadores para quem o cúmulo do livre-pensamento era impedir uma procissão de sair, de maçãos para quem a Maçonaria (longe de a considerarem a depositária da herança sagrada da Gnose) nunca foi mais do que uma Carbonária ritual. Produto assim de educações dadas por criaturas cuja vida era uma perpétua traição àquilo que diziam que eram, e às crenças ou ideias que diziam servir, tínhamos que ser sempre dos arredores...

Fernando Pessoa, in 'Sobre Portugal - Introdução ao Problema Nacional'
49

Enviar um comentário

Translate