12/10/2013

O que é Liderança e o que é ser um líder !

Um líder inteligente quer os recursos e os colaboradores do seu lado, mas não os força a estar com ninguém em especial, nem contra outrem.

Não se comunica só quando as coisas ficam mal, sobretudo deve-se partilhar, com frequência, tudo o que de bom acontece.

A equipe não serve para "derramar ideias", emoções negativas, "feitios pessoais", "espírito de vingança", etc, mas sobretudo para "partilhar conhecimento e informação" como forma de a solidificar, criando o verdadeiro espíríto de entre-ajuda e do "team", de forma séria e integra.

Não devemos trazer para a Empresa o nosso estado de espírito negativo ou emoções de natureza pessoal, mas devemos saber ouvir os colaboradores quando têm problemas pessoais e se possível dar ajuda e contribuições positivas. Isto fomenta o espírito de equipa e fortaleçe as relações inter-pessoais.

As ideias devem ser sempre benvindas tal como as críticas, e estas não são positivas ou negativas conforme nos agradem pessoalmente, mas sim formas de escutar a equipe e as pessoas, e com as quais temos o previlégio de colaborar.

Devem-se evitar as criticas negativas e salientar todos os pontos de actuação positivos.
O lado negativo deve ser sempre "visitado" numa perspectiva de melhoramento e mudança, a que todos temos de nos adaptar constantemente, como forma de assegurar o futuro.
As ideias com futuro implicam sempre a mudança, e para tal devemo-nos preparar e ajudar a equipa a interiorizar bem este factor.

Não se comunica através de pessoas terceiras, mas sim directamente e "olhos nos olhos". Só assim termos oportunidade de ser respeitados e respeitar os outros.

A comunicação com os colaboradores deve ser clara e concisa, bem como os objectivos que se esperam obter.
A gestão assertiva por objectivos é a única hipótese de sobrevivência no futuro das organizações e das pessoas.
Os objectivos a atingir mudam, tal como as organizações, e como tal devemos estar sempre preparados para as alterações tácticas e estratégicas necessárias.

A motivação de equipas não se consegue por decreto ou determinação tipo ordem de serviço. Pelo contrário é através da prossecussão dos objectivos de negócio e pela sua harmoniosa integração com os interesses profissionais de cada colaborador, que se chega à motivação clara de recursos e ao atingir de objectivos determinados pela Organização.

A verdadeira liderança não se confere nem se conquista, obtêm-se por mérito próprio no dia-a-dia, cultiva-se. O poder que é conferido, não serve para se usar, pois por cada vez que se faz uso deste, o mesmo vai-se esvaindo e só se pode impor pela força. A qualquer força que se imprime há sempre uma resistência que se lhe opõe.

A atitude dum líder deve ser sempre na abordagem dos problemas pelo lado positivo.
Os colaboradores não têm defeitos, mas sim características, de que se destacarão qualidades intrínsecas e únicas. Este é o valor acrescentado de cada um do recursos humanos que integram uma Empresa.
Só uma liderança aberta, dialogante e motivadora é capaz de gerir equipes dinâmicas, colaborativas e criativas.

E o verdadeiro espírito de equipe é aquele que move montanhas e desconhece limitações, daí que não seja fácil encontrá-lo em acção numa qualquer organização, por puro acaso.
Este vai crescendo no dia-a-dia das organizações e dos seus lideres que decidiram, um dia lançar as sementes do mesmo e o tratarem com todo o cuidado, não vá ele perecer.

E por último, embora já um lugar comum, uma liderança séria não se estranha, entranha-se.


[Francisco Gonçalves (c) IT Consultant, 12 Março 2006 ]
Enviar um comentário

Translate