01/04/2013

A Inteligência e o Código do Amor


"Nas Universidades há hoje milhares de jovens destituídos de sensibilidade e com traços marcantes de psicopatias. Possuem cultura académica, mas nãos são capazes de ser solidários, tolerantes, altruístas, e pelo contrário, são egoístas, radicais e sectários. Desconhecem o código da família humana. Amam a sua religião, a sua ideologia politíca, o seu país, o seu clube desportivo e a sua raça mais do que a espécie humana.
Se um dia estes jovens vierem a dirigir a sua nação, cometerão atrocidades e não se preocuparão minimamente com as necessidades dos outros.

Está correctíssimo do ponto de vista psiquiátrico, psicológico o famosíssimo pensamento: Ama o próximo com a ti mesmo. Mas que é o próximo? O próximo não foi definido porque inclui todas as raças, todas as culturas e todas as religiões. Só foi definido quem deve decifrar o código do amor: amar como a si mesmo. Que intrigante sabedoria!

Temos ensinado as nossas crianças  e os adolescentes a conhecer as estruturas dos átomos, que talvez a maioria não tenha a possibilidade de vir a conhecer mais de perto, nas não lhe ensinamos o seus completo planeta psíquico. É fundamental ensiná-los a conhecer o seu psiquismo, bem como os códigos que lhes permitirão deixar de ser vitimas dos traumas de infância, das perdas da adolescência e das frustrações da vida adulta".

Extraído de "O Código da Inteligência" de Augusto Curry
Enviar um comentário

Translate